Skip to content

Alegria sem pé nem cabeça.

2° março, 2010
tags:
by

Mais um dessas noites já acumuladas, as idéias vão aparecendo, inconscientemente sendo construídas.
E como após a respiração trancada, o dedo no gatilho, a visão que por infinitos milésimos observou tudo ao redor e toda a trajetória, o desfecho é um tiro. Simples assim.

Não te encontrar para conversarmos me fez te conhecer melhor.
O silêncio aumenta o volume da sua voz, suave.
Fecho os olhos, reconheço a insônia e reconheço a imagem, vejo-a inteira.
A ausência provoca o tato, faz sentir o abraço.
É uma noite em que se passam vários dias.
Sonhos conscientes, misturam as verdadeiras memórias e lembranças inventadas.
Repito as palavras, crio um momento. Lembro do abraço, invento o beijo.

Quando você voltar eu nem sei o que vou fazer, o que vou dizer.
.
Vou deixar rolar.

E a saudade não faz senão felicitar. Jamais pense na tristeza futura. Alegre-se com o melhor de hoje e de ontem e apenas busque o melhor para amanhã. E nunca se esqueça do hoje.

[recomendações de quem se decepciona e espera o pior]

Anúncios
One Comment leave one →
  1. 2° março, 2010 2:01 pm

    Poxa, ficou bem legal esse pensamento. E realmente, jamais deve pensar na tristesa futura, ou como diriam “Morrer igual peru”.

    Verball
    Siga-nos no @BlogVerbALL

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: